Muitas vezes penso que o cristianismo como é elaborado hoje oferece mais dificuldades do que

soluções.

Não oferecemos alternativas ou seguer sugestões para os grandes temas que afetam a humanidade, pouco falamos sobre a fome, exploração, descuido com a natureza, pobreza, política, etc,etc, etc…

Muitos irão alegar : “Mas o que podemos fazer ? somos apenas Igrejas….”
Eu diria, como ainda não fizemos nada sendo Igreja??

Não consigo ver a Igreja de Cristo, como uma entidade “parada”, sem ação, olhando a sociedade trilhar seu caminho para a desgraça. Jesus sempre agia, seu exemplo é de ação, de ir ao encontro, de identificação com os problemas e com as pessoas. Assim também acontecia no AT,
quando os profetas, tomados de divina ira, levantavam-se com uma mensagem vinda do Senhor, geralmente uma acusação contra os poderosos e governantes que deveriam conduzir o povo com diligência e justiça, contra o povo que com suas atitudes afastavam-se do correto caminho.

Desta forma na Bíblia sempre vejo uma dualidade de preocupação, o espiritual e o material, nunca um em deprimento do outro, o judeu do AT não tinha esse dualismo de origem grega, que separa o físico do espiritual.

Hoje no entanto, elaboramos uma nova teologia, uma teologia do Deus para mim, criamos um Deus que existe somente para atender os meus desejos materiais, um deus do Hoje, o EU SOU, no sentido de infinito, de futuro, deixa de ser relevante, o mais importante agora é o DEUS É.

O que interessa agora é o Deus qeu eu faço mover com a minha fé, o Deus que dá um
jeitinho… o que importa é o Deus que apesar de eu não estudar “faz com que eu
passe na prova…”

Mas esse deus materialista pode ser facilmente esquecido, basta o progresso econômico atingir as pessoas, basta melhorar as condições de vida e assim teremos cada vez menos necessidade deste deus….

Mas apesar e talvez porcausa disto teremos cada vez mais sede de DEUS, mas talvez por não
termos feito nada e por não agirmos, por não nos importarmos, talvez acabe sendo
tarde de mais….

Hoje creio que a grande ênfase que as igrejas estão dando para os milagres e curas estão diminuindo a verdadeira mensagem do Evangelho. Não necessito mas de Cristo por causa da minha existência humana vazia, afastado de Deus…. Não necessito verdadeiramente de conversão por causa dos meus pecados…. Agora no evangelho pós-moderno necessito de Jesus por causa de seus milagres… Necessito de cura de alguma enfermidade, necessito de um emprego, necessito de mais dinheiro, e as “igrejas” estão vendendo este “Jesus” esse “Deus”… A pouco dias assiti um “culto” pela tv em que um dos “milagres” dados como testemunho é que “Deus” havia desaparecido com os registros da conta devedora do sujeito no banco, ou seja , esse Deus hacker, sumiu com a dívida do sujeito, esse Deus Robin Hood, que tira dos ricos para dar aos pobres…

Do meu ponto de vista esses “milagres” não mostram a grandeza de Deus, eles diminuem a Deus, criam um deus fantoche, um deus pequeno, não é um Deus pessoal, mas um Deus individual e indivudualista….

O pior é que as “igrejas” estão fatiando esse deus… ao ponto de voltarmos ao conceito de deus reginalista ( do mesmo conceito que tinha os hebreus da antiguidade, que IAHWEH somente operava em terras judaicas….) ao ponto de afirmarem que Deus operava ali naquele local, o “bispo” perguntou se determinada pessoa que já era evangélica de outra denominação tinha sido “abençoada” em outra igreja… como a afirmação foi negativa, veio a frase ” tá vendo??? é porque aqui Deus age… aqui Deus opera…”. ou seja, na outra não…

É por isso que estou, desde algum tempo, posicionando-me fortemente com relação a estas afirmações, e denominações que se dizem cristãs, não podemos colocar todas as igrejas dentro do mesmo saco… Não é somente citando o nome de Jesus que estas instituições se transformam em verdadeiras igrejas de Cristo.

Powered by ScribeFire.